20 de fevereiro

Regionalização dos ambientes e a cultura local como fonte de inspiração

Natureza, cultura e diversos outros elementos moldam a nossa vida cotidiana. Ser sustentável é adaptar os elementos naturais e característicos de uma região para a criação de um ambiente funcional.

A regionalização dos ambientes foi um dos temas presentes no Casa Vogue Experience de 2018, no qual a Marel esteve presente para acompanhar as tendências de mercado para 2019. O arquiteto croata (naturalizado no Brasil há 12 anos) Marko Brajovic, exaltou a superioridade do trabalho da natureza em suas formas e função, dizendo que “a natureza é um designer de 3,8 bilhões de anos”.

O objetivo da regionalização é repensar as riquezas locais, trazendo à tona a ancestralidade de uma determinada cultura e tornando valores intangíveis em peças visuais, como um projeto de design de interiores.

 

A importância da cultura e da tradição

Jordan Peterson, renomado palestrante e professor de psicologia na Universidade de Toronto (Canadá) defende que países são ricos e desenvolvidos por valorizarem a cultura e as tradições locais.

Isso ocorre porque a tradição e a cultura formam a nossa própria história, nos contam quem nós somos e de que lugar nós viemos.

Assim, ao preservar esses elementos, é possível desenvolver um senso de pertencimento e significado, honrando a história e o legado de seus antepassados.

Por isso, inúmeros designers brasileiros estão trabalhando o design regional com elementos da cultura nordestina, gaúcha, paulista e nortista. Por que não explorar esses elementos em um projeto de design de interiores você também?

 

O Brasil possui polos culturais riquíssimos como as referências indígenas, africanas, européias, asiáticas etc. Cabe ao arquiteto ou designer buscar essas referências, tornando-se um cool hunter das particularidades da região em que o projeto será desenvolvido.

Ressignificar é a palavra da vez: transformar algo, dando um novo sentido, uma nova visão. Nas culturas locais, diversos elementos podem ser adaptados aos projetos de design de interiores, agregando ao valor intangível, novas funcionalidades.

Também faz parte da regionalização o uso de materiais próprios da região, como plantas, pedras, padrões, texturas, tecidos e itens de artesanato. Dessa forma, é possível utilizar materiais em abundância regional, sem impactar o meio ambiente.

O principal objetivo é transformar cada ambiente em um local único e exclusivo, ao mesmo tempo em que são integrados os aspectos regionais.

 

Buscando por tendências

Os elementos culturais estão por todas as partes: desde uma visita ao museu local a uma conversa informal nas ruas da cidade, na tribo indígena ou na padaria. A cultura é mutável, em constante desenvolvimento, sendo preciso atenção ao cotidiano para identificar as melhores ideias.

Viver a cultura é estar por dentro da vida da região, compreendendo suas dificuldades e seus pontos fortes, aproveitando com responsabilidade as características que tornam cada região única em clima, estilo de vida, gostos, preferências e população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *