20 de novembro

MAREL no Casa Vogue Experience 2018: confira os destaques do evento!

A MAREL esteve presente na quarta edição do evento, que apresentou as principais tendências de arquitetura e design, e ressaltou a necessidade de um resgate das raízes brasileiras. Veja os destaques!

De 6 a 9 de novembro, aMAREL Design Mobili marcou presença no Casa Vogue Experience 2018, evento promovido pela Casa Vogue na Casa do Parque, em São Paulo. O local teve seus ambientes decorados com tons terrosos, materiais naturais e muita textura, além de uma combinação de móveis vintage com artesanato e design contemporâneo, resultando em espaços acolhedores e brasileiríssimos.

Ao longo de quatro dias, participamos de uma série de workshops e palestras sobre decoração, arquitetura, arte, gastronomia, paisagismo, moda e bem estar. E para que você fique por dentro de todas as tendências apresentadas, fizemos um resumo dessa experiência incrível. Confira:

O novo morar: boomers vs millennials, com Natalia Gramari, da WGSN

A presença de Natalia Gramari, pesquisadora do bureaux de tendências WGSN, teve clima de previsão do futuro. Com a palestra intitulada “O Novo Morar: Boomers vs Millennials”, ela apresentou ao público como essas duas gerações se comportam atualmente e quais são os seus desejos em relação à moradia.

De acordo com ela, os boomers, nascidos entre 1946 e 1964, querem conforto e acessibilidade em suas casas. Alguns querem envelhecer onde vivem, mas outros desejam se mudar e, para isso, precisam de espaços pequenos e flexíveis por serem mais práticos.

Apesar disso, são acumuladores. Então, um desafio para os designers e arquitetos é criar imóveis compactos que comportem esse acervo. Como a expectativa de vida dessa geração aumentou nas últimas décadas e muitos continuam trabalhando, o home office é algo importante em suas casas.

Já os millennials, nascidos após o ano 2000, são conhecidos pelo imediatismo. “Eles preferem experiências a comprar coisas e são exigentes com o trabalho”, contou a expert. Além disso, são nostálgicos, mas pelas escolhas estéticas e não pelo estilo de vida. “Adoramos ter Polaroid em casa, mas não abrimos mão da tecnologia da câmera do celular”, disse.

A casa dessa geração tende a ser minimalista e prezam pelo conceito de coabitação. Colivings mundo afora não param de surgir. Entre os ambientes mais valorizados pelos millennials está o home office, a cozinha, que se tornou um espaço de estar, e cantos de relaxamento, como para a prática de yoga e meditação.

Design transformador no sertão do Piauí, com Marcelo Rosenbaum e Marcilene Barbosa

No talk “Design transformador no sertão do Piauí – a história por trás da coleção Toca de Luz”, Marcelo Rosenbaum, Marcilene, Taissa Buescu e Rosa de Viterbo Cunha, gestora de artesanato do Sebrae Piauí, contaram a trajetória do povoado de Várzea Queimada, desde o trabalho de resgate dos conhecimentos e técnicas locais, até a concepção de uma coleção de luminárias, em parceria com a Casa Vogue e designers do Atelier Oi.

Mais do que compartilhar as várias experiências vividas em Várzea, o bate-papo levantou questões sobre o valor e significado do design, além do seu potencial transformador. Para os participantes, o design não é uma esteira bonita ou uma técnica de trançar, mas sim a arte de repensar a riqueza local, resgatando a ancestralidade e o valor de toda a comunidade.

Sete tendências não óbvias que estão mudando a forma como vivemos, com Rohit Bhargava

O indiano Rohit Bhargava, expert em inovação e marketing, abriu o segundo dia de evento falando sobre seu processo de pesquisa e explicou sete tendências que vão influenciar nossas relações com a casa e com o mundo.

Ele contou que seu processo criativo envolve muita pesquisa em livros e revistas, além de viagens, entrevistas e o principal: observação. “Todo mundo pode ser uma pessoa inovadora, mas o segredo está na curadoria de ideias”, explicou. Assim, ele resumiu a importância da curadoria no trabalho de pesquisa de tendências.

Sobre os comportamentos que ele tem observado nos últimos tempos, uma coisa em comum que destacou foi o desejo por uma vida mais leve e real. Com a tecnologia dominando nossas vidas, as relações tornaram-se mais frias e solitárias. Assim, surge a vontade de ter experiências mais pessoais e interações com seres humanos reais e não somente com máquinas.

Outro destaque tratou do novo luxo, que não será mais uma questão de privilégios e altos investimentos, mas de experiências inesquecíveis, que devem marcar nossas memórias.

Instituto Campana: design como transformação social, com Humberto Campana e Waldick Jatobá

Nome do design brasileiro mais consagrado ao redor do globo, os Irmãos Campana mantêm uma sólida atuação social por meio de seu instituto homônimo. Durante o evento, Humberto e Waldick Jatobá apresentaram os trabalhos do Instituto Campana, criado há 9 anos, que conduz a criação de peças de design, como mobiliários e lustres, por meio de parcerias com ONGs, em busca de transformação social.

Sustentabilidade na prática no décor, com Maurício Arruda

A palestra do arquiteto Maurício Arruda foi uma das mais esperadas do evento. Também apresentador do programa Decora, do GNT, ele ressaltou que o ecodesign é diferente de sustentabilidade. “Não é apenas reaproveitar, é não impactar a vida das pessoas”, disse.

Aos arquitetos e designers de interiores na plateia, deu alguns conselhos. O principal deles é valorizar a singularidade das casas brasileiras, pensando no protagonismo do morador. Quanto a tendências, Maurício destacou três ideias que ele observa para o futuro: decoração democrática, pautada por design sustentável, custo, beleza, funcionalidade e qualidade; decoração aberta, pois os lares estão em constante mudança; e decoração em tempo real, pois as pessoas querem viver o tempo real das coisas e ter a casa como espaço espiritual.

Casa

O feminino nas artes criativas, com Jochen Volz, Valéria Piccoli, Antonia Pellegrino, Regina Parra, Nicole Tomazi e Luiza Dias

Quantas designers mulheres estão nos grandes prêmios de design? Quantas arquitetas renomadas você lembra de cabeça? Qual a porcentagem de mulheres entre os artistas contemplados por grandes museus? No terceiro dia de Casa Vogue Experience 2018, designers, artistas, arquitetas e curadores debateram o lugar da mulher no universo criativo.

Entre dados compartilhados na palestra, lembrou-se que a Pinacoteca, museu com maior acervo feminino do país, tem apenas 22% de seu acervo assinado por mulheres. Que na Semana de Design do Rio 2018, 26% dos expositores são mulheres e que no prêmio Pritzker, o Oscar da arquitetura, apenas uma mulher venceu sozinha.

Highlights do design 2018, com Taissa Buescu

A diretora de conteúdo da Casa Vogue apontou em sua palestra as principais tendências do design observadas ao longo deste ano, nas feiras mais importantes do Brasil e do mundo, como o Salão do Móvel de Milão, London Design Festival, Maison & Objet e lançamentos das marcas brasileiras.

Entre as tendências que Taissa apontou está a valorização do design social e a preocupação com a sustentabilidade. O aspecto multifuncional dos móveis também foi lembrado por ela, que agora estão sendo pensados para se transformar à medida da necessidade do cliente.

A natureza da forma, com Marko Brajovic

O arquiteto Marko Brajovic, nascido na Croácia, está há 12 no Brasil. Em sua apresentação no Casa Vogue Experience, ressaltou a importância de conhecer a natureza para projetar e revelou como as inovações tecnológicas ajudam nesta tarefa. Para ele, a arquitetura deve trabalhar em prol e integrada à natureza e não o contrário. “A natureza é um designer de 3,8 bilhões de anos”, ressaltou. Mas como? Ele explica:

1 – Esteja consciente do entorno ambiental e cultural com o qual a arquitetura vai se relacionar, e de que forma ela vai se relacionar com a paisagem.

2 – Seja gentil e adapte-se à topografia natural em vez de fazer a topografia se adaptar à arquitetura. Respeite as forças da natureza e trabalhe com uma arquitetura leve. Tenha em mente sempre: integração, adaptação e leveza.

3 – Observe e aprenda com as culturas ancestrais, como as comunidades indígenas, que “têm os melhores cases de arquitetura”.

Regeneração e reaproveitamento: os “R’s” mais importantes, com Fe Cortez, Carol Piccin e Fernanda Paes Leme

A ativista, a gestora ambiental e sócia da MateriaLab e a atriz que abraçou a causa da sustentabilidade debateram como mudar nossos hábitos cotidianos para causar um impacto positivo no planeta.

Ao falar dos “R’s” mais importantes, regeneração e reaproveitamento, tema central do talk, elas destacaram a importância de se pensar no ciclo completo da produção, além de destacarem o poder dos designers e arquitetos em repensar as matérias primas de suas criações, estimulando a utilização de produtos naturais e a economia circular.

Leia também no blog da MAREL: tendências para cozinhas em móveis e tecnologia.

Marel
por Marel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *